Um jornal de boas notícias.

Resolvemos subverter a essência do jornalismo tradicional que aponta os erros da nossa sociedade, criando um periódico que trouxesse sempre boas notícias sem perder o senso crítico, essencial a qualquer veículo que se preze.

Clique aqui e conheça-nos

Edição 176 - Setembro/20

AQUI e
tudo sobre nossos patrocinadores:
Share

Promover a cultura
é descobrir o Brasil

Santa Massa investe em artistas nacionais ainda
desconhecidos do grande público

O mundo é uma ervilha. Estava eu checando meu Instagram quando vejo um novo projeto cultural envolvendo o grande amigo Tião Carvalho, nobre da música, da dança e da cultura brasileira. No rodapé do anúncio do programa Sotaques do Brasil, estrelado por vários artistas de diversos pontos do país, chamou minha atenção uma marca que conheço bem, afinal é da minha cidade. Ora, como a Santa Massa descobriu essa riqueza chamada Tião Carvalho?

Não demorou para eu conseguir o contato dos três pilares que colocaram em pé o projeto que dá foco a artistas que merecem e devem ser conhecidos do grande público. O departamento de marketing da Santa Massa, comandado por Nicanor Guerreiro Filho, o produtor cultural Sergio Mendonça, sócio e diretor da Pôr do Som, gravadora paulistana dedicada a artistas de grande importância da música brasileira, e Flávio Barbosa, diretor da AFAF Consultoria, que atende empresas dispostas a usar as leis de incentivo à cultura, a federal Lei Rouanet e a estadual PROAC. “Vimos nesse projeto uma riqueza e diversidade cultural muito grandes, uma realidade brasileira de muitos músicos e compositores regionais de extrema qualidade e que na maioria das vezes não conseguem divulgar o seu trabalho e serem conhecidos pelos brasileiros”, diz o gerente de marketing da Santa Massa.

O projeto foi apresentado por Barbosa, que trabalha sistematicamente no atendimento a empresas, procurando alternativas que estejam alinhadas com suas diretrizes. “Identificamos os indicadores e que tipos de projetos são adequados para cada cliente. O Sotaques do Brasil é um projeto que casou bem com a ideia para a Santa Massa que tivesse transmissão em TV fechada ou aberta”, explica o diretor da AFAF.

Com um total de 14 episódios, Sotaques do Brasil está sendo transmitido por canais a cabo. Com duração de 15 minutos cada, vão ao ar toda segunda-feira, às 18h45, com reprises programadas pelos canais. A cada episódio, o programa dá voz a um músico de diferentes regiões do país. Esses, por sua vez, apresentam um convidado, duplicando a oportunidade do público ter contato com a música e a obra de artistas que nem sempre têm espaço na tradicional grade de música de qualidade questionável das emissoras de rádio e programas de TV.

Se por um lado são quase desconhecidos do grande público, os artistas contemplados em Sotaques do Brasil têm uma trajetória consolidada e são bastante reconhecidos no meio artístico, por críticos, acadêmicos e músicos renomados. Sergio Mendonça, nos conta como foi a criação do programa: “A proposta deste projeto é valorizar e difundir os artistas que trabalham com a cultura popular brasileira”, diz o produtor, destacando que no processo de seleção, além da qualidade musical, foi levado em conta fatores como a diversidade de ritmos, a distribuição geográfica, influências dos artistas e ritmos da cultura popular. A série traz artistas de São Paulo, Maranhão, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Alagoas e Amapá.

Sotaques do Brasil está sendo exibido no Canal Music Box Brazil e algumas outras operadoras em algumas cidades e estados brasileiros. “E estamos em busca de parcerias para a inserção dos programas em outros canais e plataformas de streaming”, informa Mendonça, que avalia ser muito importante que empresas que podem destinar recursos a projetos contemplados pelas leis de incentivo fiscal apostem em artistas importantes da nossa cultura. “A Santa Massa é uma empresa que acreditou no projeto e na música popular brasileira, nos permitindo viabilizar um documento de grande importância para a cultura popular brasileira, valorizando artistas e ritmos que não estão nos grandes veículos”, avalia o produtor.

Além de Sotaques do Brasil, a Santa Massa mantém, já há alguns anos, apoio a projetos de formação cultural e esportiva de Santa Cruz do Rio Pardo, onde está sediada sua fábrica. “Iniciamos esse trabalho em 2016, com o apoio à Feira do Livro do Colégio Camões, e depois foram surgindo outros. Atualmente, patrocinamos a Orquestra de Câmara de Santa Cruz do Rio Pardo, a Orquestra Sinfônica Nacional de Ourinhos e o CAS Talentos Brasil, de futebol, entre outros projetos culturais e esportivos, afirma Guerreiro.

Para realizar esse trabalho, vale a pena ter um parceiro que procure projetos que cumpram requisitos básicos, como a qualidade e responsabilidade dos produtores e identidade com a marca. Além de trabalhar com um portfólio de projetos previamente selecionados e ter habilidade de identificar projetos de qualidade que estejam disponíveis no mercado, a consultoria prestada por empresas como a AFAF trata de todas as questões referentes a documentação, aplicação dos recursos e negociação de reciprocidades de exposição de marcas, facilitando bastante o trabalho das empresas.

Os resultados, como em todo empreendimento, chegam rápido e são altamente positivos, quando se escolhe bons projetos. “Com redação e entrevistas realizadas pelo jornalista Sérgio Fogaça, a série promete entreter e ensinar bastante sobre uma música rica, diferente, suingada, poética, vasta e única, fazendo jus ao país da qual faz parte.”, escreveu o crítico Carlos Bozzo Junior, no blog Músicas em Letras, da Folha de S. Paulo

Info: Sotaques do Brasil. 14 episódios.

Segundas às 18h45 \ Reprise terças às 06h45
MUSIC BOX BRAZIL– NET: 123 / NET HD: 623 / OI TV:145

Até 22 de junho.

Tião Carvalho,

Mestre das Artes


“Eu sou Tião Carvalho. Sou um músico, dançarino, compositor. Sou um cantor que gosta de cantar coisas do Brasil e coisas brasileiras de raízes”, diz Tião Carvalho em Sotaques do Brasil. Maranhense de Cururupu, cidade onde viveu até os oito anos, e conta que sua musicalidade é herança de família. “No Maranhão tem todo um contexto especial de fazer música. O Bumba meu Boi, o Tambor de Criola, Dança do Baralho, Cacuriá, todas as infinidades de cultura, uma riqueza muito grande”, explica o artista em Sotaques do Brasil, acrescentando que sua carreira começou quando era adolescente, no Maranhão. Ele se mudou para o Rio de Janeiro, em 1979, mas foi em São Paulo, para onde ele se mudou no início dos aos 80, que Tião se consagrou um respeitado artista brasileiro, tanto por sua obra, como cantor e compositor, quanto por seu trabalho em torno das artes brasileiras, envolvendo ensino e dança.

Além de composições de grande poesia como “Nós”, imortalizada pela cantora Cássia Eller, Tião fundou duas bandas que marcaram o cenário musical paulistano nas décadas de 80 e 90, como a Mexe com Tudo, que revelou artistas de grande renome no atual circuito musical, como Toninho Carrasqueira, Toninho Ferragutti, Swami Junior e Virgínia Rosa, e a Banda Mafuá, que revelou a cantora Vanessa da Mata. Paralelamente, o artista desenvolveu uma carreira solo bastante respeitada pela crítica e pelo público.

No campo da dança e das tradições da arte brasileira, Tião Carvalho é fundador do Grupo Cupuaçu de Danças Brasileiras e da Festa do Bumba Meu Boi que faz parte do calendário cultura de São Paulo, que acontece três vezes por ano no Morro do Querosene, bairro da zona oeste da capital onde vivem muitos artistas, vizinho do Butantã e da USP. A festa acontece em datas que festejam o nascimento (janeiro), o batizado (São João) e a morte (novembro) do boi e atrai grande público local e turistas interessados em conhecer as festas tradicionais brasileiras.

O artista também é um educador reconhecido por comunidades e organizações dedicadas ao desenvolvimento de atividades de inclusão social através da arte. Não à toa, é chamado mestre!

Conheça sua obras em canais on line de música, como Spotify e You Tube.

Share
Share