Um jornal de boas notícias.

Resolvemos subverter a essência do jornalismo tradicional que aponta os erros da nossa sociedade, criando um periódico que trouxesse sempre boas notícias sem perder o senso crítico, essencial a qualquer veículo que se preze.

Clique aqui e conheça-nos

Edição 181 - Fevereiro/21

AQUI e
tudo sobre nossos patrocinadores:

AUTOestima em ALTA

Locução: Marinho Benedito
Arte: sabato Visconti

Quando Pingo nasceu, ele era um pingo de cachorro e nunca latia e, por ser um pingo, recebeu o nome de Pingo. Depois cresceu, cresceu e ficou grandão, mas continua silencioso. Só late quando percebe que é importante latir, como nós humanos que gritamos somente quando só o grito resolve.

Onde Pingo mora há muitos cachorros bem pequenos que latem muito por qualquer coisa e até por coisa nenhuma. Pingo se diverte quando os cachorrinhos latem ardido ao vê-lo passar e, cada latido parece um chamado para outros cachorros latirem.

Quando toda a cachorrada está latindo, Pingo se põe de importante e Alvinho se diverte ao vê-lo desfilar garboso com tudo apontando para cima, o focinho, as orelhas, o rabo, silencioso, porque, nessa hora ele precisa se concentrar para não mostrar que está morrendo de rir por dentro pensando: eles devem achar que eu sou um príncipe, um rei, o senhor do universo e segue rindo porque ninguém imagina o que ele está pensando.