Um jornal de boas notícias.

Resolvemos subverter a essência do jornalismo tradicional que aponta os erros da nossa sociedade, criando um periódico que trouxesse sempre boas notícias sem perder o senso crítico, essencial a qualquer veículo que se preze.

Clique aqui e conheça-nos

Edição 182 - Março/21

AQUI e
tudo sobre nossos patrocinadores:

Frases Feitas

José Mário Rocha de Andrade - médico santa-cruzense radicado em Campinas

Às vezes ouço por aí que somente as pessoas superficiais gostam de frases feitas. Se isso é verdade, ou não, eu não sei, mas sei que adoro frases feitas. Há uma semana, a cirurgia estava no fim, anestesia local e a paciente era uma senhora de 70 anos. Ela poderia estar dormindo pela sedação, ou não. Nesses momentos, cirurgia terminada, conversamos, ou, como se diz, jogamos conversa fora. “Comigo não tem per-dão. Pisou na bola, é uma vez só e tchau”, disse a anestesista. Existem pecados e pecados, retruquei, sempre há lugar para o perdão, insisti. Errar é humano! Persistir no erro é… ESCOLHA! Disse a paciente para surpresa nossa.

Nos tempos da juventude, em Santa Cruz, havia aprendido que persistir no erro é burrice e também uma frase da Eleanor Roosevelt: “Se uma pessoa te trai uma vez, a culpa é dela. Se trai a segunda vez, a culpa é sua”. Pronto! Avalanche de lembranças. Dona Florinda: “Melhor ser boneca nas mãos de velho que peteca nas mãos de jovem” e o Dr. Marcílio que adorava comer bem: “À mesa não se envelhece” e “Quando eu passo bem, eu passo mal, quando eu passo mal, eu passo bem”, lembrando-se de seus excessos à mesa.

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, decidi me divertir com frases feitas sobre a MULHER e, nesse quesito, Oscar Wilde, “somente as pessoas superficiais não dão importância à primeira impressão” é o meu favorito:

“As mulheres existem para que as amemos e não para que as compreendamos.”

“ As mulheres não sabem o que querem e não dão descanso enquanto não recebem aquilo que querem.”

“Quando um homem se casa pela segunda vez, é porque adorava a sua primeira mulher.

Atrás de todo homem bem-sucedido existe uma mulher. E, atrás desta, existe a mulher dele.”,  Groucho Marx.

“Deixemos as mulheres bonitas para os homens sem imaginação.”, Marcel Proust.

“No amor, as mulheres são profissionais, os homens, amadores.”, François Truffaut.

“Tirando a mulher, o resto é paisagem.”, Dante Milano.

“Beleza é o poder pelo qual uma mulher encanta o amante e aterroriza o marido.”, Ambrose Bierce.

“A curva mais linda de uma mulher é o sorriso.”, Bob Marley

“Na vingança e no amor a mulher é mais bárbara do que o homem.”, Nietzsche.

“Vista-se mal e notarão o vestido. Vista-se bem e notarão a mulher.”, Coco Chanel

“Deus criou a mulher de uma costela, de um osso torto. Se procurares endireitá-la, quebrará.

 Tenham, pois, paciência com as mulheres.”,  Maomé. “Não quero faca, nem queijo. Quero a fome.“, “A alma bela faz radiar o corpo feio, ou velho, mas por interesse puramente estético, procurar a bondade não funciona. O rabo aparece.”, Adélia Prado.

“Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.” 

“A noite foi feita para dormir porque senão no escuro se compreende o que se quis dizer quando falaram em inferno, e tudo aquilo no que uma mulher não acredita de dia, de noite ela entenderá.”, Clarice Lispector.

O negacionismo mata. A ciência salva.

Fernanda Lira - jornalista paulistana que adora o interior

Sim, o negacionismo, que vem a ser a negação do que já foi cientificamente comprovado, mata. E mata a rodo. Em contrapartida, a ciência salva. Ou seja o profundo conhecimento técnico, conceitual e aplicado, ou seja, testado e comprovado, é a garantia da sobrevivência.

Estamos vivendo uma situação muito pior do que o previsto para o Brasil no caso da pandemia. Há um ano, a estimativa de 100 mil mortes no país assombrava a todos. Pois já passamos do triplo desse terrível índice. Mais de 300 mil pessoas mortas pelo negacionismo. O próprio, em muitos casos, e o alheio, o que é ainda pior, pois isso configura a ação do outro sobre a vida de quem quer se proteger.

O fechamento de atividades está sendo rechaçado em todo lugar. Os negacionistas culpam governadores e prefeitos, enquanto os verdadeiros culpados dessa dramática situação que não tem sinal de retrocesso, são eles mesmos e o mandatário do cargo da Presidência da República.

Evitar tudo isso seria perfeitamente possível.  Bastaria que todos, sem exceção, usassem máscaras corretamente, tapando boca e nariz, todo o tempo em que estivessem fora de suas casas e também na companhia de familiares.

Mas a grande maioria não faz isso. Basta sair às ruas e constatar muito mais pessoas sem máscaras do que o contrário. Manter distância também ajuda. Mas os negacionistas insistem em querer chegar perto de você, como se isso não expusesse ambos ao contágio.

Há negacionistas de todos os tipos e credos. A começar pelos negacionistas gratiluz como andei lendo por aí, que, munidos de suas convicções “natu-vegana-holísticas”, pregam a aversão a vacinas de toda espécie, num discurso tolo, calcado na prepotência de quem sabe ver o que a maioria não enxerga.

Há também os negacionistas broncos, que reagem às recomendações de proteção com expressões como “Ahhh!”,  “Raaaá.! Que nada! Hahahha”… Revelando também quase nenhuma capacidade de articulação verbal.

Também temos os negacionistas shopping-center, aqueles que continuam podendo comprar o que querem, ir aonde querem e se consideram tão lindos e limpos em seus carros do ano que não se prendem a protocolos. Viajam, fazem reuniões de amigos e de família. Se tocam, convivem sem máscara em praias, salas e piscinas. Afinal, estão acima de tudo e de todos, inclusive do coronavírus. Esses, ainda por cima ocupam os poucos leitos disponíveis em hospitais quando voltam de resorts.

Há também os negacionistas surfistas, que vão na onda, sem parar para pensar, e seguem o comando do atual desgoverno federal, que se regala com mortes e toda a quebradeira nacional que está acontecendo qual uma avalanche em efeito dominó.

Também tem os negacionistas enrustidos, que discursam pelo fim da pandemia, pelo cumprimento de protocolos, enquanto bebem com amigos em bares, festas e reuniões familiares.